15/08
2016

Introdução da Papinha Salgada da MV
por Priscila Prado

Meninas no sábado introduzi a papinha salgada da Maria Valentina, vou compartilhar com vocês algumas dicas do meu pediatra e contar um pouco de como está sendo esta nova experiência para mim e para MV.

papinha 2

 

Olha a carinha dela de feliz que vai papar!!

papinha 4

Primeiro vou contar um pouco de como e quando introduzi a papinha, como eu nunca amamentei exclusivo peito, minha pediatra iniciou a papinha de frutas com 5 meses, agora que falta 4 dias para Nina completar 6 meses, iniciamos a papinha salgada.

Vale lembrar que a introdução dos alimentos sólidos é recomendada somente após os seis meses de idade, exceto no meu caso que existiu uma recomendação médica específica para a minha filha.

papinha 1

 

Hoje a Nina comeu Batata + Cenoura e adorou!!

papinha 3

 

Escolha qual método você quer seguir: 

Acredito que hoje em dia existam duas técnicas mais faladas quando se trata de introduzir os alimentos na dieta do bebê: a convencional, que seria a velha fórmula de começar com as frutas e depois com as papinhas salgadas com carne/frango e combinações variadas de legumes e verduras, grãos, macarrão, etc, para citar alguns exemplos. E, com isso, o bebê é alimentado pelos pais ou cuidadores, com o uso de colherzinhas.

O outro método, que tem sido muito difundido aqui no Brasil recentemente, é o BLW (Baby Led Weaning), que é, para simplificar, a introdução dos alimentos sólidos guiada pelo próprio bebê. Os alimentos devem ser oferecidos inteiros, num tamanho que a criança consiga segurar. O próprio bebê escolhe o que comer e quanto comer, dentro das opções que você oferecer a ele. Os especialistas explicam que a partir dos seis meses a criança já está apta a comer pedaços (e não apenas papas) e não corre mais o risco de engasgar.

Eu tenho seguido o método convencional, mas confesso que tenho vontade experimentar o BLW, ver como a Nina se comportaria, se daria certo ou não, uma hora vou testar e conto para vocês como foi minha experiência. Por enquanto o método convencional tem dado muito certo por aqui, hoje por exemplo ela comeu quase toda papinha, é lógico que a mamãe tem que fazer algumas mímicas para criança olhar, aviãozinho é de praxe, mas eu amo alimentar minha filha, faço com o maior prazer!

Fontes confiáveis de pesquisa e dicas de receitas:

Meninas para cozinhar os legumes eu uso panelas de aço inox, não sou muito neurótica em relação a isso.

Tem alguns sites e blogs que comecei a procurar por receitas, um que gostei bastante é Delícias do Dudu, é um blog bacana para quem procura informações sobre alimentação infantil e tem muita receita boa e fácil de preparar, desde as mais simples às mais turbinadas e nutritivas, e até versões caseiras de alimentos industrializados que normalmente estão presentes no nosso dia a dia.

O blog Mamatraca fez uma série de vídeos com a Pat Feldman, do Crianças na Cozinha, e também achei bem legal e instrutivo. Aqui nesse link você pode ver todos eles.

Dicas de segurança e higiene:

  • A papinha do bebê deve ser feita com água filtrada e os legumes devem ser lavados e descascados.
    Ao preparar a papinha, evite misturar alimetos crus com outros cozidos para não haver contaminação.
  • E lembre-se sempre: quanto maior a quantidade de sabores que apresentados ao bebê, maiores serão as chances de ele gostar desses alimentos no futuro.

Conclusão: leia, pesquise, troque figurinhas com outras mães e pais e inicie da forma que você sentir que deve iniciar. Se não der certo, mude, adapte, readapte, enfim, siga seus instintos e o principal: perceba seu bebê, seus gostos, suas preferências e respeite o ritmo dele.

 

 

 

Assinatura Blog

Você também poderá gostar…

Postado dia por Priscila Prado em Baby, Dicas deixe um comentário

Add a Comment

Copyright © Cherry Lady - Layout & Assessoria por Unite | Raquel Trevisi